Que será da nossa viúva sombra,

 

 

Que será da nossa
Viúva sombra, sem
A mortal vida presa,
Que somos, criamos

Poesia, como deuses
Do cosmos, querendo
Sou iníquo ou único,
Como se existisse “Ecce Homo”

Em mim ou uma luz negra
Assim, tal como há vida
Em nós, contamos com
A morte, pra sermos

Eternos e reais “d’cem-réis”,
Que será da nossa
Viúva sombra,
Sem o lugar dos tordos,

Os Maias, os Césares
E a vizinha cega, que
Não sei o nome…
Que será da nossa sombra,

Morta a vida, cega …cegos,
Vivamos todos.

Jorge Santos 08/2018
http://namastibetpoems.blogspot.com

 

Gostaria de ter um Cadillac novo,

 

 

 

Gostaria de ter um Cadillac novo,
Daqueles verdes vivo ou claro,
Assentos cor de ovo, a casca
Ou da minha pele morena,

Gostaria de ter um Cadillac,
Como outra “gente bem”, 
Aquele que reproduz 
Um trovão quando passa rente,

Sem esforço, plo meu coração
Parado, aquele que não afrouxa,
Como tudo na vida e enfim,
Como toda a gente comum,

Que gostaria de ter um Cadillac
Novo, mas sou cercado de coisas
Incompletas, assim os jardins,
Onde pobre me deito e ouço as rosas,

Sorrir nas pétalas, Dálias do Japão
Sedan Azul na América do sul,
Correr cidades e subúrbios,
Gostaria de ter um Cadillac novo,

E esta intenção de me encontrar suposta,
Esta inquietação de correr cidades de costa
A costa. Tornar parte da paisagem
E do ruído metropolitano, dos rostos humanos, 

Esta intenção de me encontrar em tudo,
No ouvido dos vizinhos a falarem alto,
No trânsito do subúrbio, sempre parado,
Ao volante de um Cadillac-de-fazer-vista.

Jorge Santos 08/2018
http://namastibetpoems.blogspot.com

Puder-eu-o-ter

Mar que há em mim,
Puder eu o ter não no lugar
Que tem o mundo, mas no peito,
Profundo, perdido e fundo.

O mar que há em mim passei,
Saudarei da margem dele
O mar sem farsas falas, pois
Que hei-de por ele passar,

Eu sei que é o mesmo
Porque me corre nas veias
E é salgado tal e qual o sal
No mar imerso e imenso.

Abraço o nosso e o falar
Que não se distingue
No mar entorno que volta fatal
E eu vou ao ritmo da maré,

O mar que há em mim
É supremo, confesso-me
Imperfeito não me alimenta
A beleza, não compreendo

Os elementos nem o critério
Da natureza, da espuma,
Apesar de fluída e me aperta
O peito, estéril, amiga,

Ouvir o som das águas
E morrer, é como descrever
A própria calma e saltar
Dos ribeiros para o domínio

Que me corre nas veias,
O destino é sentir que vou,
Sem deixar de ser o mar
Que volta e me tem, puder-eu-o-ter,

Confesso-me …

Jorge Santos 08/2018
http://namastibetpoems.blogspot.com

 

Jaz por terra…

 

 

Jaz na Terra o sossego e a negação do belo,
Jaz por Terra a noite e a ferida em cal-viva,
A ventura que é sorrir e também chorar gelo,
Jaz na terra o trono e um dono senhor de tudo,

Jaz por terra um templo que abandonei e que
Descuido, por não ter uso nem deuses, esses novos,
Infecundos e impostos para mal do homem feudal,
Homens deuses, a quem a calma e o ódio Deo-opus

De-graça, como se fora eu sacrossanto ermitão,
Em “Cristos Bay resort”, jazz por terra o meu ego,
De campeão dos detestados feios de braços, 
“Sou tido” como demente por sentir tudo,

Até quando chuva quando cai na Terra quente, 
O meu coração me desmente e me desdiz, 
Jaz na Terra o sossego e a negação do belo,
Jaz por Terra a noite e a ferida em cal-viva,

A ventura que é sorrir e também chorar gelo,
Jaz na terra o trono de um dono, senhor de tudo,
Apesar de tudo isso sou tido como pouco são, 
Por sentir mais que tudo e tod’esta gente,

Quando a chuva cai em meu coração não mente,
“Sou tido” como demente por sentir tudo,
Até granizo quando cai na Terra quente,
No meu coração d’pedra faz frio de geada,

Jaz nele a terra, o céu e o abismo sem fundo,
Jaz na Terra o sossego e a negação do belo,
Jaz por Terra a noite e a ferida em cal-viva,
A ventura que é sorrir e também chorar gelo,

Jaz na terra o trono e um dono senhor de tudo,
Apesar de tudo isso sou tido como louco,
Por sentir mais que tudo e toda a gente,
Quando a chuva cai em meu coração dormente,

Como se fosse real e sentida, credível talvez,
Embora nem sempre…

Jorge Santos 07/2018
http://namastibetpoems.blogspot.com

Eu sou o oposto,

 

 

Eu sou o oposto de tudo que é nítido, sonho déjà-vu,
Que não procura factos verídicos no seu conteúdo,
Desejo e Sonho a sequela do sonho que detesto,
Sou aquele que procura semear em terra alheia
A discórdia por deuses que não tiveram seguidores,

Sou o engaço de mim mesmo, margem de rio-
-Meio. Sinto-me um contabilista ilógico
E contar ouro, não sendo importante,
A bem da verdade não conto, faltam-me números, 
E os axiomas que afirmo, meus não são

Mas d’outros, assim como a opinião, pouca
Tenho, creio no que conheço por simpatia,
Mas principalmente se tiver “patine” preta, 
E um pouco mais que eu, em altura ao peito,
Flutuo sobre cidades e serras ao jeito de um mago. 

Acima delas me inspiro ainda que poucos percebam
O sentido que é imperceptível a olho nu, o buraco
Da agulha e o palheiro, não existiriam fábulas
Sem mim, nem lugar pra Aleister Crowley no cais
Dos Infernos. O paradoxo é um sufismo com 4 vias,

Todas elas escolhas adequadas, explicam a criação
Do bem e do mal, do real e do sonhado, do mistério
Ancestral dos anjos terem asas nas costas e voarem
E os homens pés, meias e botas que prendem ao chão,
Cientes das estrelas s’acharem supostamente fora

D’alcance …

Jorge Santos (07/2018)
http://namastibetpoems.blogspot.com

Escolho fugir de mim,

Escolho fugir de mim,
Mas se fugir não terei pra onde ir,
Meu destino é solidão,
Escapar é outra coisa,
É o instante e só a sombra bate em retirada,
Quando nos vamos
E abandonamos nós mesmos.

Escolho fugir “na mesma”
E assim só a sombra é que segue viagem
Não a meu lado mas ficando parada
Ficar é ir, ir é ficar, fugir é desertar,
Escolho fugir a amar…
Pra não deixar saudade,
Nem nada de sobra pra que me chorem,

Como fosse doença,
Escolher é também caminho,
Destinos remotos, sem remorsos,
O que efectivamente faço é respirar fundo,
É suspeitar de tudo que da sombra vem,
Respira ao meu ouvido,
Sorrindo quando eu sorrio, por isso fujo,
Escolho outro caminho, é certo…

Jorge Santos 06/2018
http://namastibetpoems.blogspot.com