Imperturbável

(Onde estou não é onde bebo,Nem onde pesam meus pés)

Respiro devagar, ainda assim
O aroma fresco não vá fugir de mim,
No barulho ou no lodo da ribeira,
Que se queixa de correr pra

Longe, pra tão longe, quanto não pode
Estar de mim separado o odor que tenho
No corpo, acre e carmim…delfim,
Respiro devagar ainda assim,

Um aroma suave e doce a romã,
Que quase posso comer e tocar
Na calma calma da manhã,
Sente-se na densidade dura, o ar,

Ainda assim respiro devagar,
Não vá desaparecer, o saber
Que anteontem a noite tinha,
No aroma, a tinta fresa,

Na sala que me encerra,
-Aroma a memória e tempo
-Acre e carmim –amêndoa-madura
Ou Jardim de erva aparada.

Respiro devagar o aroma,
Que me é dada ao sorver
Toda e cada manhã, sabor da alma…
Imperecível, Impartilhável, imperturbável.

Jorge Santos (10/2014)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s