Morar em volta de meus passos


Tudo passa tão depressa

Que alma outrem nem pára
Pra chamar, ao passar p’la minha
Casa, estando eu morto pra vida 

Toda, sem mostrar a ninguém

Quanto estava,quando estava…
Conquanto tudo passa, sem espera
E sem esperança pra um morto

Que espera toda’vida pela estranha

Qual chama de morte e vazia,
A chamava de vida, da sorte
Pouca como qualquer outra

Sem causa, passa e não pára 

A esta porta e nesta fraca figura
Em causa, tudo passa excepto
A guerra galgando este modesto corpo,

Modesta a honra que na minha alma

Molesto e a dum transeunte que passa
Por passar, por minha causa chora
Sem me conhecer morto vivo,

Vivo morto se nem em casa nessa 

Vivo, mas onde tudo acha por bem 
Passar por passar, estando eu noutra
Parte, na porta que me resta galgar

Como um muro, pra murar em volta 

Dos meus passos por andar…

Joel Matos (11/2015
http://joel-matos.blogspot.com

(pintura atribuída a Adolf Hitler)

 

hitler_painting_05

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s