Não sei se sei, se não….

Tenho sofrido,
Quer solidão e leveza
Quer de vazios,
Dizer o que sei,

Eu não sinto,
Nem vontade
E contar cura
Não.Tenho sofrido

Independente
Da razão e do
Sítio que liga,
O estômago à mão

que escreve,
Dependendo
Do coração um terço
Que solto,

Solto, faz tempo
Não ….
Tenho sofrido
De esquecimentos,

Mas o que sinto
É que não sou eu
Que esqueço
Onde estou,

Mas tantos outros,
Que me não acham,
No incerto caminho
D’onde venho,

Perguntam à névoa,
Que foi do tolo
Que se perdeu
E esta responde:

-Quem por aqui passa
Com coração à solta
Não precisa guia
Cão, nem tem medo…

Venho sofrendo
De infinitos dispersos
Por tudo quanto vejo,
Unidade na alma,

Esta não vejo,
Estilhaços de azul e céu,
Que agarrei para um uso
Que não sei, se sei,

Se não…

Jorge Santos (06/2016)
http://namastibetpoems.blogspot.com

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s