Sou o mais intolerante dos homens …

De facto sou o mais intolerante dos homens,
Dorme nos meus braços e faz neles morada
O inútil e o nada, nem um só pensamento
Parece a mim remédio para a intolerância

E a descrença, qual sinto a valer o mesmo
Que o stock de regras e medidas homologadas
Que grassam nos meus cotovelos de humores
Incertos, temo valer menos do que peso

No mercado do insucesso da invicta tolerância
A crédito, esse que não possuo deveras nem sou
Grato quando viro para dentro os olhos e o sorriso
Mal feito. Sou intolerante de feitio, mero espécime

Que entende aramaico sem ser de lá, nem de perto …

Jorge Santos (Julho 2016)
http://namastibetpoems.blogspot.com

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s