Cama no chão

Quase a minha cama
No chão, quem dera
Não ser de cimento
E a noite quase dia

Pra que se anule
Esta vontade de ficar
Por tudo e fazer-me
Ao céu com tudo quase

O que acontece de novo
Por já ser de dia
No chão tijolo burro
Da minha oficina

De “mago de vontade
Pouca”, quase cama
Na sala do pouco
Amar-me-eu-não

Faço da cama minha,
Esse duro chão cimento…

Joel Matos (01/2017)
http://joel-matos.blogspot.com

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s